O derradeiro pouso da comitiva 2015

Por em 21 de dezembro de 2015

NOTÍCIAS DO FRONT (NF2R)

A pecuária Goiana e Brasileira descrita por quem a vive e “carrega o pó da viagem”

(Edição NF2R #196, de 20 a 27/dez/15)

Aos que carregam o “pó da viagem”,

 

Amigos, companheiros desta nossa viagem pela longa estrada da vida boiadeira, eis que o ano de 2015 anuncia o seu crepúsculo final… Nosso derradeiro pouso da comitiva 2015 chegou. Agora é hora de entrar para dentro da última remanga, contar a boiada, soltá-la na pastaria vedada, “bambear o lático”, soltar a tropa na “medica” e pôr o esqueleto para repousar, mas antes, afinar os dedos na viola e “festar” bastante junto com a família, nosso verdadeiro esteio de aroeira que nos suporta no estradão. Este é o nosso momento, meus amigos!

Desta forma, este NF2R será mais curto e direto ao ponto. Quanto aos preços, tivemos, como dito aqui, um arrefecimento da pressão de baixa, que definitivamente “não colou”. Porém, estamos naquele período do ano, recheado de interrupções de abate devido aos feriados de final de ano, de modo que existe uma relativa falta de referência com relação a preços e escalas. Na dependência do esquema de funcionamento de cada indústria com relação ao Natal e Ano Novo, será o seu comportamento em relação à compra de gado nos próximos dias.

Quase a totalidade das indústrias tem compra de gado pronta para este período de festas, pois a demanda de carne, notadamente “grill”, eleva-se neste momento. Em função disto, algumas resolveram abater quase que normalmente, principalmente no estado de SP.

Uma boa notícia é que o frango, em alta, perdeu muita competitividade recentemente para a carne bovina e, além disto, os frigoríficos começam janeiro com relativamente pouco bois agendados em alguns estados, como GO, por exemplo. E a tendência é que o mercado perca liquidez de maneira forte de agora até o dia 04/jan. Isto já está ocorrendo, pois o nível de ofertas caiu muito nos últimos dias. De fato, não é hora de se vender boi gordo agora. Como disse no início deste, agora é hora de “bambear o lático”.

Mas tem algumas atividades que não podem parar… Exemplos são o manejo atento dos pastos e as orações para as chuvas que reproduzem com fidelidade neste momento os efeitos do El Niño… No Centro-Sul do País, vemos os pastos verdes e exuberantes, enquanto que no Centro-Norte, vê-se exatamente o contrário. Tivemos a oportunidade de rodar entre o Pará e SP nos últimos dez dias e o retrato contrasta muito. Cerca de 43% das áreas de soja do MT encontram-se em estado ruim ou péssimo, segundo o IMEA. Além disto há relatos de campo que as vacas entraram para a IATF em condição corporal mais baixa que o normal, desta forma, existe a perspectiva de termos problemas na safra de bezerros desmamados de 2017. E o milho desta safra continua sendo uma verdadeira incógnita, pois se por um lado o atraso no plantio de soja reduz a janela para a safrinha, por outro, alguns falam em desistir da soja neste ano e partir para o milho, justamente por não ter plantado tudo ou não poder mais replantar o que foi perdido… De toda a forma, o preço do mercado futuro e físico está refletindo estas incertezas e apresenta-se em alta, rebaixando cada dia mais a relação @/milho.

Outra coisa que não pode parar agora é o trabalho do “japonês bonzinho”… E que semana agitada… Tivemos rebaixamento do Brasil por mais uma agência (somos tratados agora como “junk”, ou seja, lixo), tivemos o STF ditando o rumo do impeachment, tivemos a interrupção temporária do whatsapp, tivemos a queda do Ministro Levy, o aumento dos juros nos EUA e mais problemas para o Eduardo Cunha… Será que em 2016, teremos saudades de 2015? Ai, ai, ai…

Os dados do abate do IBGE relativos ao 3º trimestre mostram que a retenção de fêmeas está a todo vapor e deverá influenciar muito a dinâmica do próximo ano.

Com relação aos preços, o indicador saiu de R$ 145,52/@ (variando de R$ 144,50 a R$ 147) e pousou no R$ 146,39/@ (variando de R$ 143,75 a R$ 149), com o mercado físico paulista encerrando a última sexta entre R$ 145 a R$ 148/@ a vista para o boi comum, com a seguinte ressalva: a parte de baixo do intervalo é praticada por quem não precisa comprar boi. Também houve relatos de negociações no valor de R$ 149/@, mas são tão raras de se ver igual a “bosta de índio”, hehehe. As escalas paulistas, em geral, estão entre 04 a 08/jan, com algumas indústrias com agendamento até o dia 13 de janeiro.

Na “terra do tuiuiú”, o boi é comprado por R$ 133/@ a prazo, pelo menos. Valores de preços balcão abaixo disto, são “para inglês ver”. De toda forma, o diferencial de base inédito vai “firmando o gorpe”, infelizmente para nossos companheiros sul-matogrossenses.

Na “terra do pequi”, nada de novo, pois temos o preço de R$ 135 à R$ 137/@ até o R$ 140/@, referências a prazo. Pouquíssimas negociações são vistas na parte de baixo do intervalo e as indústrias que propõem estes preços são as que não precisam de bois agora. As escalas romperam o 2016 e estão próximas à 05 ou 06/jan, em média.

Por fim, a bolsa projeta preços em ascenção daqui até maio/16, que agora passa a ser a nossa próxima ancoragem em termos de expectativas. Deveremos ter cerca de R$ 4,50/@ de alta até lá, tomando por base o indicador e o fechamento da última sexta-feira.

Finalizamos este, informando que o NF2R entrará em recesso, voltando a retratar o mercado do dia 04/jan em diante, através da publicação que sairá em 10/jan.

Foram muitos “km rodados” neste ano, acumulando muito pó da viagem, ou seja, muito aprendizado. Vivemos um ano dentro de uma ilha de fantasia, ou melhor, de calmaria, como estamos nos referindo a 2015. Uma boa herança, depois do valoroso ano de 2014, o ano da colheita…

Neste período de final de ano, saibamos descansar e carregar as baterias, renovando a esperança e a nossa força para enfrentarmos o ano de 2016 da pecuária, o qual estamos apelidando de: “o ano da eficiência”. O ano de separar os meninos dos homens.

Use parte do seu tempo até o dia 31/dez para refletir sobre a sua vida pessoal, seus negócios… Nada é 100% braçal. Acredito muito na relação 10% intelectual : 90% operacional… A melhor hora para desenrolar os 10% do intelecto é justamente agora. Vivemos num mundo focado no destino final, mas que se esquece da jornada… Vivemos o futuro, ao invés do presente… Pense nisto.

Convido-te para assistir o vídeo do link a seguir. Ele é de um banco, mas tem que ser divulgado… https://www.youtube.com/watch?v=ayUx-R3lJvo. Vivemos num mundo digital, incluso este nosso NF2R, mas não podemos esquecer que somos humanos. O digital apenas nos permite ter mais contato com cada vez mais pessoas, mas não deve ser o nosso único ponto de contato… Principalmente, com os nossos entes queridos. Mude este curso, sempre é tempo.

Finalizamos deixando para você um texto que recebi esta semana, de autoria desconhecida e que tem muito a ver com o NF2R, pois aqui, falamos muito em pó da viagem, pó este, que vem da estrada, da longa estrada da vida boiadeira, chamada de “Estrada da Vitória”.

Esta estrada não é uma reta… Existe uma curva chamada fracasso… Existe um trecho chamado confusão… Um quebra-molas chamado dificuldade… uns pneus furados chamados de inveja e uns buracos chamados erros.

Mas se você tiver um estepe chamado determinação… Um motor chamado perseverança… um seguro chamado fé… E, acima de tudo, um Motorista chamado Jesus, com toda a certeza do mundo você chegará ao seu destino final, ao seu derradeiro pouso, chamado SUCESSO.

Um Feliz Natal e um próspero Ano Novo. Que venha 2016, com muita saúde e luz para toda a nossa humanidade!!!!

 

Rodrigo Albuquerque (@fazendaburitis) &

Ricardo Heise (@boi_invest),

Num trabalho feito a 4 mãos…

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

CONTATOS PARA AGENDAMENTO DE PALESTRAS: boicom20@gmail.com

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

1 Comentário

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.