A árdua tarefa de comprar “peso” de quem vende “era”

Por em 5 de outubro de 2015

NOTÍCIAS DO FRONT (NF2R)

 

A pecuária Goiana e Brasileira descrita por quem a vive e “carrega o pó da viagem”

(Edição NF2R #185, de 04 a 10/out/15)

 

Aos que carregam o “pó da viagem”,

 

“Fernando Pessoa, estupendo poeta português, autor de umas das frases mais magníficas que conheço e de que mais gosto na vida e que vale para essas pessoas que, frente à necessidade de mudanças, pedem para esperar um pouco, que ainda é muito cedo ou que dá muito trabalho: ‘À véspera de não partir nunca, ao menos não há que arrumar malas’. Há pessoas que para não ter o trabalho de arrumar mala, ficam adiando a partida” (Mario Sergio Cortella, no livro “Qual é a Tua Obra”?).

A minha tradução para a última frase é: há pessoas que para não ter o trabalho de mudar as coisas que precisam ser mudadas (ou arrumar as malas), ficam adiando a sua evolução (ou a sua partida). Pense nisto!!! Eu fiz as minhas malas! E o bovino? Vejamos…

1) COMO ESTÁ O NOSSO TETO (SP/MS)?

O indicador Esalq/BMF começou a semana passada em R$ 144,87/@ (variando de R$ 144,50 a R$ 146) e a encerrou anotando R$ 146,18/@ (variando de R$ 143,50 a R$ 148). Como está se tornando costumeiro, a sexta-feira apresentou variação acima da média semanal, o que é motivado, ao nosso ver, pela baixa liquidez deste dia. Até quinta, o indicador vinha em linha com a sexta anterior, mas no último dia da semana, subiu abruptamente quase R$ 1,5/@.

No físico da praça paulista, o intervalo de R$ 143 a R$ 145, com adicional eventual de R$ 1/@ é o mais comum. Nada que mude o que repetidamente falamos: tendência flat com leve viés positivo. No Mato Grosso do Sul, vimos o R$ 137/@ ap, como balcão mais comum (escalas 13/out).

Nada de novo em termos das escalas paulistas, as quais seguem entre a terça (13/10) e a segunda (19/10). O “DIA D” mantém-se na quarta, dia 14/out e o placar em 7 dias (entre o acordo da venda e o dia do abate). O “x” da questão no outubro será a segunda quinzena.

O STATUS DO BEEFRADAR sofre leve alteração:

35% queda (leve) : 50% estabilidade : 15% para alta (leve)

 

2) E AQUI, NA TERRA DO PEQUI?

E a “brincadeira de frigorífico peitar” o mercado, como alertamos aqui, não foi exitosa em termos de manutenção de preço em GO. O balcão mais comum passou a ser o R$ 137 ap (boi comum) com valores adicionais (“personalitè” bem ativo), de até R$ 3/@. Alta forte na semana, refletindo a dicotomia com SP, alardeada aqui no NF2R da última semana.

Porém, o esquema “pagou, achou” funcionou e as escalas andaram bem, estando hoje no dia 13/out, em geral (lembrando que temos feriado dia 12/out). Igual a SP, a segunda quinzena é o “x” da questão, pois a programação de bois de contrato está maior no final do mês. Uma parte do barulho visto com relação a antecipação de embarques vista semana passada, ocorreu em função de um grande abate postergado por parte de um cliente com questões judiciais envolvidas. Aí o mercado deu uma fervida, embalado com a força do ZapZap.

Finalmente, podemos dizer que o boi goiano rompeu o suporte de R$ 10/@ do diferencial de base com SP e nos últimos 2 dias da semana, anotou a média de R$ 8,90/@. Vamos ver a evolução disto. Do lado das vacas, nada de novo, seguimos com cerca de 5% de deságio.

 

3) HORA DO QUILO: recebi da Prodap o resultado final de umas gravações feitas ainda em junho a respeito do nosso negócio pecuário. Muito bacana o vídeo. A ação “Histórias do Amanhã” está no YouTube (são dois os vídeos). Segue: https://www.youtube.com/watch?v=98dRWtkUUrA

 

4) TO BEEF OR NOT TO BEEF: passei por uma importante mudança profissional no último 21/set, mas somente pude externar isto ao mercado nesta última sexta-feira. A explicação completa está no link a seguir. O importante é que nada muda com relação a este espaço, com relação ao seu conteúdo, pois este espaço é sagrado, acima de marcas e produtos. Aqui cabe somente o tema comercialização de bovinos e aspectos importantes ao produtor de gado de corte quanto à questão LUCRATIVIDADE.

E porque isto? Porque nada muda, apesar de uma mudança brusca? Resp.: porque aqui tem um propósito. E tem coisas que tem uma conexão com algo maior, ou melhor, tudo tem conexão com algo maior…

Coincidentemente na última sexta, logo após iniciar a comunicação com o mercado, recebi do Sr. Elder Antonio, de Anápolis-GO a seguinte mensagem: Não nos conhecemos. Mas vc ajuda a criar meus netos e pagar a faculdade do meu filho. Então é de casa”. Já recebi muitos feedbacks pelos textos, positivos e negativos. Todos são igualmente importantes. Porém, este aqui foi especial, especial demais e muito ligado ao nosso propósito: através da publicação de nossos raciocínios comerciais, queremos levar melhoria à vida das pessoas que lidam com pecuária, incitando-as a desenvolverem uma estratégia própria para os seus negócios…

Nem sei se merecemos um comentário como este. Sei que nunca tive vontade de parar de escrevê-los e parece que é melhor assim… Obrigado, companheiro, Elder Antonio.

No mesmo dia, recebi da Prodap o vídeo acima, feito quanto não havia sequer a negociação de minha mudança profissional. Quisera o destino que o vídeo viesse dar cor e vida às palavras do link do parágrafo abaixo, no mesmo dia em que a notícia foi divulgada ao mercado.

Não sei se conseguirei agradecer as centenas de mensagens de boa sorte que recebi. Resta-me deixar aqui o meu mais sincero, puro e verdadeiro MUITO OBRIGADO! E DIZER QUE CONTINUAREMOS A SEGUIR JUNTOS NA NOSSA EMPREITADA PECUÁRIA.

Mais detalhes, no link:

http://sites.beefpoint.com.br/rodrigoalbuquerque/comunicado-ao-mercado/

 

5) FOTO DA SEMANA:

 

Foto do nosso querido Prof. Pedro de Felício, Águas de São Pedro-SP:

 20151005 - Amigos dos ídolos

Foto de Rodrigo Albuquerque, com a sucessão familiar na churrasqueira (Roberto Barcellos e filho) , Águas de São Pedro-SP:

 20151005 - Sucessão familiar na churrasqueira

 

6) O LADO “B” DO BOI:

 

6.1.) COMO COMPRAR “PESO” DE QUEM VENDE “ERA”

Enquanto as chuvas não vêm, influenciadas por um El Niño forte, o diesel e a gasolina seguem subindo… Alguém tem que pagar as contas…

Pouca coisa mudou no mercado na última semana. As margens de frigoríficos seguem em alta consistente, mostrando que o ajuste de produção foi bem exitoso. De outra sorte, a reposição segue tirando o sono de quem recria e engorda e cremos que tirará o sono de frigorífico no primeiro trimestre de 2016…

Com a aproximação das chuvas, as fazendas de recria e engorda ainda vazias prometem “explodir de capim” daqui a uns dias. E aí, a equação oferta x demanda pode ser alterada, com aumento da demanda e consequentemente, recuperação de parte da perda de preços que o bezerro sofreu após maio/2015…

Mas como comprar? No auge do pico da seca que vivenciamos neste momento, boa parte dos vendedores de animais de recria são fazendas pouco tecnificadas e, portanto, convivem com perda de peso ou baixíssimo ganho na seca. O resultado: o que estas fazendas têm a ofertar agora é apenas “era” de gado e não “peso”.

Entretanto, quem compra e pesa o gado pode se assustar com o valor das arrobas internalizadas.

Muito cuidado. Um garrote de 18 meses pode facilmente custar mais de R$ 210/@ se comprado com peso vivo de 8 a 8.5@. Tudo bem, que teremos o compensatório, mas entrar neste ágio, pode ser flertar com o prejuízo.

A solução:

*mudar a sua política, somente comprando gado no peso (prepare-se para perder muitos fornecedores que não se encaixarão na nova política).

*comprar na “perna”, apertando a mão no aparte, pegando somente a “prateleira de cima” (arriscando a internalizar uma arroba mais salgada, de toda a forma e endurecendo a negociação).

 

Nossa visão: pecuária séria e justa para ambas as partes se faz com pesagem na entrada, mesmo porquê, será balizada pela balança na saída, independente dos elos que estão negociando. E aí? Qual a sua escolha? Só não vale adiar a partida e não arrumar as malas de sua política comercial de compras!

Uma semana repleta de saúde, luz, prosperidade e justiça!

 

Rodrigo Albuquerque (@fazendaburitis) &

Ricardo Heise (@boi_invest),

Num trabalho feito a 4 mãos…

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

CONTATOS PARA AGENDAMENTO DE PALESTRAS: boicom20@gmail.com

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

1 Comentário

  1. Christiano

    6 de outubro de 2015 at 11:54

    Rodrigo, bom dia.
    Primeiramente parabéns e boa sorte nessa nova empreitada e pelo trabalho de levar essas informações tão preciosas que incentivam uma pecuária mais eficiente.
    O assunto COMO COMPRAR “PESO” DE QUEM VENDE “ERA”, é muito importante e está ligado diretamente com o meu dia a dia, trabalho na Toledo com a linha de pesagem de animais vivos e tenho o desafio diário de mostrar ao meu cliente a importância de ter uma ferramenta de pesagem na fazenda e mais ainda de controlar a informação do PESO. Além da negociação ser saudável e justa para ambas as partes, com a informação do PESO consigo administrar e melhorar o que pode ser melhorado, sem isso não tenho parâmetro não tenho ponto de partida. Faço esse trabalho com muito empenho e continuo acreditando que podemos ter uma pecuária cada dia mais eficiente.
    Mais uma vez PARABÉNS, SUCESSO, SAÚDE!
    Christiano Rosa Machado

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *