JBS e Vigor, faz sentido separar o boi da vaca?

Por em 13 de fevereiro de 2012

Na semana passada a JBS anunciou ao mercado que iria separar sua divisão de lácteos, ou mais precisamente, a marca e o negócio Vigor das demais operações e abrir seu capital em bolsa. Um negócio que segundo a própria JBS, poderá valer em torno de R$1,2 bilhão de reais e que hoje, com a atual estrutura corporativa da empresa, não esta sendo precificada corretamente.

Na verdade o que irá ocorrer será uma cisão, a Vigor vai ganhar uma estrutura corporativa própria e poderá ditar seus próprios rumos, bom, o JBS ainda será o controlador do negócio, mas ainda assim, a empresa sai da sombra do frigorífico e pode seguir seu próprio caminho. Tirando as implicações contábeis, já exaustivamente explicados em notas e entrevistas pela empresa, nos perguntamos “Faz sentido esta estratégia para as empresas?”

Para mim sim, faz todo sentido. Creio que foi uma das decisões mais acertadas do JBS nos últimos tempos, o negócio “lácteos”, apesar de utilizar proteína bovina como matéria prima em comum, não tem nada a ver com o negócio “carne”. Ficar sob a sombra do guarda chuva de marcas da JBS, tradicional frigorífico, não tinha sentido nenhum, sob qualquer ponto de vista, em especial marketing e operações.

Creio que com esta cisão, estaremos presenciando uma nova etapa nos negócios da Vigor e consequentemente da JBS. Para gerar maior valor aos seus acionistas, o grupo precisava separar o negócio “carne” do “leite”, mesmo que seus custos operacionais totais aumentem, pois ambas perderão algumas estruturas compartilhadas, os ganhos advindos desta cisão serão muito recompensatórios, ao final, ambos sairão ganhando, JBS e Vigor. Acredito que o consumidor final também, pois a tendência é que a empresa operando por sua “conta e risco” inove cada vez mais em termos de produtos e processos.

Antes de terminar, queria deixar também um comentário sobre as possíveis mudanças no setor de lácteos, o boato que está correndo no mercado é que uma grande fusão estaria para acontecer neste setor e a Vigor é vista como um peça que se encaixa muito bem nesta engrenagem. Parte da estratégia da JBS é a de defender sua posição neste segmento e para isso precisava contar com uma empresa mais organizada e capitalizada, daí a cisão. Bom, mas isso é só um boato e por enquanto, acreditamos no que estamos vendo, de fato.

Grande abraço e até a próxima.

3 Comments

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.