Sua chance de sair na frente… :-)

Por em 4 de novembro de 2014

Bom dia, tudo bem?

Gostaria de te convidar a ler o artigo semanal do Rodrigo Albuquerque e Ricardo Heise, sobre o mercado do boi gordo. Eles fazem uma análise interessante do cenário atual, onde todos os preços estão no telhado (muito altos). E o último preço a chegar na “festa do telhado” foi a carne bovina, melhorando as margens dos frigoríficos. Vale a leitura para você começar a semana bem informado.

Rodrigo e Ricardo estão confirmados para palestra e debate sobre o mercado do boi gordo, durante o BeefSummit Brasil. Também estamos com outros palestrantes confirmados, como o Rogério Goulart, da Carta Pecuária, Fabiano Tito Rosa, do Minerva, e Alexandre Mendonça de Barros, da MB Agro. Teremos muita informação, análise e debate sobre mercado do boi para 2015.

Também já confirmamos a palestra do Eduardo Riedel, produtor e presidente da Famasul, uma das lideranças da pecuária de corte brasileira que eu mais admiro. Convidei o Eduardo para fazer a palestra “Aprendizados (erros e acertos) na pecuária de corte – produção, comercialização e liderança setorial“.

Outra palestra inédita será a de Amarildo Merotti, pecuarista em Cáceres e também muito conhecido por ser o proprietário da revenda agropecuária Casa da Roça. Ele vai nos contar como alinha a parte produtiva com a comercial na sua fazenda. Amarildo é uma das pessoas mais bem informadas sobre mercado do boi e consistentemente tem conseguido ótimos resultados por ter uma fazenda bem tocada e ser muito bom de comercialização.

Também teremos a palestra de João Abdon, médico veterinário e consultor na Bahia, com uma grande experiência com IATF e gestão de pessoas. Se você quer melhorar seus resultados com IATF, será uma excelente oportunidade.

Teremos ainda uma palestra inédita com o Prof. Dr. Jeff Geider, da Texas Christian University, que vai apresentar um cenário do mercado do boi gordo nos EUA, em especial depois que cresceu muito o uso de mercado futuro, opções, contratos e outras formas de trava de preço. As vantagens desses sistemas são muitas, mas também trazem alguns problemas. Imagine poder aprender com quem tem experiência nesse mercado, mas num cenário pelo menos 10 anos mais maduro. É a oportunidade de entender e se preparar para o que vai acontecer no nosso mercado. É a sua chance de ver o futuro.

Ainda não finalizei o programa, pois não consegui confirmar todos os palestrantes. Essa semana terminamos e divulgamos o programa final. Está ficando muito bom, mesmo… :-)

Se você esteve conosco no BeefSummit Brasil 2013, queria que você se lembrasse de como foi ano passado. O que você mais gostou? O que você aprendeu de diferente? Qual foi a palestra mais inspiradora? Qual pessoa nova você conheceu?

Bom, muita gente me pediu para abrir as inscrições logo, mesmo sem o programa final divulgado. Tem muita gente querendo se inscrever e com medo das vagas se esgotarem muito rápido… E provavelmente não teremos 1.500 vagas, mas 1.400 pois o pessoal do centro de convenções me pediu para diminuir um pouco…

Atendendo a pedidos, estamos abrindo hoje as inscrições do BeefSummit Brasil 2014, com uma condição muito especial…

Você pode garantir sua vaga com 60% de desconto.

Você talvez esteja se perguntando… E se eu não gostar do programa? Bom, acho quase impossível… Mas se isso acontecer mesmo, sem problemas, é só cancelar sua inscrição até dia 20 de novembro, que te devolvemos o valor pago, sem perguntas, sem dificuldades. É a garantia incondicional BeefPoint valendo também para o BeefSummit Brasil… :-)

Garanta agora sua vaga, clique aqui e confirme sua inscrição! :-)

Te espero em Ribeirão Preto, SP, dias 2 e 3 de dezembro de 2014…

Muito obrigado pela companhia. Um grande abraço, Miguel

PS: Sim, a condição especial do lote 1 é de 60% de desconto, com garantia de satisfação incondicional até 20-11. Aproveite agora… Ou se arrependa depois… :-)

Miguel Cavalcanti

BeefPoint: Para quem faz hoje a pecuária do futuro. E para quem quer fazer.
AgroTalento: Desenvolvimento pessoal e profissional para os novos líderes da pecuária.
BeefSummit Brasil: Conhecimento, Relacionamento e Inspiração para quem faz a pecuária do futuro hoje

1 Comentário

  1. Marconi Cherulli

    12/11/2014 at 09:33

    CARNE BOVINA:
    ALIMENTO NOBRE INDISPENSÁVEL

    Ezequiel Rodrigues do Valle

    É sempre bom lembrar: não existe alimento que contenha todos os nutrientes, em quantidade e qualidade necessárias à manutenção da saúde e das atividades diárias. Por esse motivo, os nutricionistas recomendam que a dieta seja composta de alimentos pertencentes a vários grupos (carnes, leite e derivados, frutas, vegetais e cereais). Com relação ao grupo das carnes, sabe-se que a carne bovina magra, similarmente à carne branca das aves (sem pele) e ao lombo suíno, é fonte importante de proteína e deve fazer parte de uma dieta balanceada com os nutrientes dos demais grupos de alimentos. Os teores de colesterol e gordura da carne bovina magra são também semelhantes aos da carne branca das aves sem pele, como também ao do lombo suíno (Tabela 1).
    O consumo excessivo de gordura (principalmente a saturada), de origem animal ou vegetal, é um fator importante no desenvolvimento de doenças cardiovasculares. Para prevenir riscos de desenvolvimento dessas doenças, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que a ingestão diária de gordura, total e saturada, seja limitada a um determinado percentual da dieta. Para a gordura total, esse limite é de 30% da energia de mantença, e para a gordura saturada, de 10%. Exemplificando, a energia de mantença para homens com idade superior a 50 anos é de 2.300 quilocalorias/dia. Portanto, os limites diários de ingestão de gordura, total e saturada, seriam de 690 quilocalorias/dia e 230 quilocalorias/dia, respectivamente. Um bife de 100 gramas de contrafilé bovino magro, de animais da raça Nelore, possui 3,9 gramas de gordura total (35,1 quilocalorias) e 1,9 grama de gordura saturada (17,1 quilocalorias). Assim, o consumo diário de 100 gramas de contrafilé grelhado irá contribuir com apenas 5% da energia proveniente da gordura total e com pouco mais de 7% da gordura saturada. Observa-se que esses valores estão muito abaixo daqueles recomendados pela OMS.

    TABELA 1. Composição nutricional das carnes bovina, suína e de aves (grelhada ou cozida, porção de 100 gramas).

    Unidade
    Alcatra1
    Lombo suíno
    Peito de frango
    Energia
    Kcal
    191
    164
    165
    Proteína
    g
    30,4
    28,1
    31
    Gordura
    g
    6,8
    4,8
    3,6
    Minerais
    Ferro
    mg
    3,4
    1,5
    1
    Magnésio
    mg
    32
    28
    29
    Fósforo
    mg
    244
    259
    228
    Potássio
    mg
    403
    437
    256
    Zinco
    mg
    6,5
    2,6
    1
    Selênio
    m g
    32,9
    48,1
    27,6
    Vitaminas
    Tiamina (B1)
    mg
    0,13
    0,94
    0,07
    Riboflavina (B2)
    mg
    0,29
    0,39
    0,11
    Niacina
    mg
    4,28
    4,71
    13,71
    Ácido pantotênico
    mg
    0,39
    0,69
    0,96
    Folacina
    m g
    10
    6
    4
    Vitamina B6
    mg
    0,45
    0,42
    0,60
    Vitamina B12
    m g
    2,85
    0,55
    0,34
    Ácidos graxos
    Saturados
    g
    2,65
    1,66
    1,01
    Monossaturados
    g
    2,90
    1,93
    1,24
    Poliinsaturados
    g
    0,26
    0,41
    0,77
    Colesterol
    mg
    89
    79
    85
    Fonte: USDA, ARS. USDA Nutrient Database for Standard Reference, release13. Nutrient Data Laboratory homepage (www.nal.usda.gov/fnic/foodcomp). Dezembro de 2000.
    1Alcatra: dados para bovinos de raças européias.

    É necessário ressaltar, no entanto, que a gordura é um dos componentes essenciais da dieta humana, pois, além de fornecer maior quantidade de energia (9 quilocalorias/grama), comparada aos carboidratos (3,7 quilocalorias/grama) e à proteína (4 quilocalorias/grama), contém ácidos graxos essenciais (aqueles não produzidos pelo organismo, mas que devem estar presentes na dieta). A gordura, além de conferir sabor ao alimentos, também auxilia no transporte e na absorção das vitaminas lipossolúveis A, D, E, e K pelo intestino.

    A carne bovina é também uma excelente fonte de proteína. Uma porção de 100 gramas de contrafilé grelhado de animais zebuínos, sem a gordura de cobertura, contém 30 gramas de proteína. O teor calórico é baixo (190 quilocalorias), como também são as concentrações de colesterol (67 miligramas/100 gramas) e gordura (3,9 gramas/100 gramas). Além de conter elevados teores de proteína de alta qualidade, a carne bovina é rica em ácidos graxos essenciais, em vitaminas do complexo B (tiamina, riboflavina, niacina, ácidos fólico e pantotênico, e vitaminas B6 e B12), em minerais (K, P, Mg, Fe e Zn) e em aminoácidos essenciais. Possui ainda altas concentrações de ácido linoléico conjugado (CLA), composto associado à prevenção e combate de determinados tipos de câncer. Por causa da multiplicidade de nutrientes que a compõe e à alta biodisponibilidade dos mesmos, a carne bovina tem sido considerada como um alimento de alta densidade nutricional.

    Todos os nutrientes contidos na carne são importantes para a saúde humana, destacando-se os minerais ferro e zinco. O ferro é essencial para diversas funções do organismo. Além de dar suporte ao sistema imunológico, forma parte da hemoglobina dos glóbulos vermelhos, responsável pelo transporte de oxigênio e dióxido de carbono. Esse oxigênio é utilizado para liberar energia do alimento, a qual é utilizada para crescimento, respiração, locomoção e demais funções do organismo. Nas carnes, o ferro é encontrado na forma “heme”, de mais fácil absorção pelo organismo do que o ferro “não-heme”, disponível nos vegetais, cereais, frutas e ovos. A inclusão da carne na dieta aumenta a biodisponibilidade do ferro “não-heme” encontrado nos vegetais. O sintoma clássico de deficiência de ferro é a anemia. Dietas deficientes em ferro retardam o crescimento de crianças, além de prejudicar a habilidade de aprendizado. De todas as carnes, a bovina é a que apresenta os maiores teores de ferro (3,4 gramas/100 gramas), enquanto que a de aves e a de suínos apresentam menores concentrações (1 grama/100 gramas e 1,47 grama/100 gramas, respectivamente). São necessários 3,4 porções (100 gramas) de peito de frango sem pele ou 2,3 porções de lombo suíno para proporcionar a mesma quantidade de ferro disponível em 100 gramas de carne bovina.

    Quanto ao zinco, é um mineral importante para o crescimento e para o desenvolvimento de diversas funções imunológicas. A sua deficiência pode afetar a função de mais de 60 enzimas e, como conseqüência, a maioria dos processos metabólicos do corpo humano. A carne bovina, comparada às demais carnes e a outros produtos de origem animal ou vegetal, com exceção das ostras, tem as maiores concentrações deste mineral (6,5 gramas/100 gramas). São necessários 6,5 porções (100 gramas) de peito de frango sem pele ou 2,5 porções (100 gramas) de lombo suíno, para proporcionar a mesma quantidade de zinco encontrada em uma porção (100 gramas) de carne bovina. Os cereais também contêm zinco na sua composição, porém com menor biodisponibilidade que a forma encontrada na carne.

    Os produtos de origem animal apresentam todas as vitaminas lipossolúveis (A, D, E e K) e as hidrossolúveis do complexo B. O mérito da carne bovina, como fonte de vitaminas, é a alta concentração e disponibilidade de vitaminas do complexo B, em especial a B12. A deficiência dessa vitamina na dieta apresenta como primeiros sintomas mudanças no sistema nervoso (dificuldade de locomoção e expressão) que, se não socorridas a tempo, podem resultar em deterioração mental e paralisia. O teor de vitamina B12 na carne bovina é o mais elevado de todas as carnes, ao redor de 2,8 microgramas/100 gramas. São necessárias 8,4 porções (100 gramas) de carne branca de aves ou 5,1 porções (100 gramas) de lombo suíno para proporcionar a mesma quantidade de vitamina B12 disponível em uma porção (100 gramas) de carne bovina.

    Em resumo, quando consumida em quantidades moderadas, os teores de gordura da carne bovina magra estão muito abaixo dos limites estabelecidos pela OMS. Outros produtos de origem animal ou vegetal, importantes para uma dieta saudável, também apresentam na sua composição este componente. No entanto, pela variedade de outros componentes nutricionais (proteína, vitaminas, minerais, aminoácidos e ácidos graxos essenciais) e pelos elevados teores com que os mesmos são encontrados na carne bovina, pode-se dizer que ela é um alimento nobre, de extrema importância à nossa saúde. Ressalta-se que nenhum alimento contém todos os nutrientes necessários à saúde humana; é importante que a dieta seja variada, incluindo carne e derivados, frutas, vegetais, cereais, leite e subprodutos. Outros aspectos relevantes, como fumo, estresse, álcool e sedentarismo, não devem ser menosprezados. Hábitos e costumes inadequados, como abstenção ou consumo excessivo de determinados alimentos, são altamente prejudiciais à saúde e devem receber atenção adequada.

    Direitos de cópia reservados para Embrapa Gado de Corte

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *