Será que isso já acontece na pecuária brasileira?

Por em 31 de outubro de 2014

Bom dia, tudo bem?

Estou participando desde ontem de um excelente evento sobre marketing digital aqui em Floripa e estou aprendendo muito. Está sendo muito interessante ser um participante de um evento excelente, pois reforça as coisas que considero importantes em um evento.

Vou te contar um segredo de como procuro conduzir as coisas. Se eu vou num evento qualquer, no Brasil ou no exterior, de pecuária, de marketing ou de internet, eu procuro prestar atenção em tudo, em todos os detalhes. Eu estou o tempo todo me perguntando: “O que estão fazendo que está fazendo a diferença? O que está deixando esse evento especial? O que esse pessoal sabe que eu ainda não sei? O que posso aprender aqui para aplicar no meu negócio, nos nossos eventos?”

Com isso, eu consegui aprender muita coisa sobre eventos nos últimos anos… Simplesmente andando com o olho aberto e o ouvido atento. E eu acredito que isso pode ser aplicado a todas as áreas da nossa vida.

Aprendi com uma das pessoas mais respeitadas no mundo da internet nos EUA, que a pessoa ideal para se contratar tem sempre três características, não importando o cargo: energia, curiosidade e ética.

Quando li isso pela primeira vez, eu fiquei impressionado como apenas três palavras poderiam resumir tão bem um profissional de sucesso. E com isso, eu liguei o meu detector de energia, curiosidade e ética, ao conversar com pessoas.

E vai além disso. Como eu concordei com os três pontos, eu também comecei a me vigiar em como poderia ficar melhor em energia, em curiosidade, em ética. Como eu poderia potencializar esses três pontos, todos os dias, todo o tempo.

Esse exercício de estar presente e ser aquilo que você quer ser, todos os dias, é muito poderoso e transformador. Precisamos estar “acordados” para vida. Parece simples, mas eu vejo gente que está “dormindo de botina” o tempo todo… Eu vejo gente, não vivendo, mas sobrevivendo… :-)

Para finalizar, gostaria de agradecer os inúmeros comentários sobre minha comparação da pecuária dos EUA com o Brasil. Gostaria muito de saber sua opiniãoe visão, em especial, se você não concordar com minha posição. É assim que eu aprendo.

Ainda pensando em pecuária dos EUA, ontem eu me lembrei que o preço do milho (que baixou muito por lá esse ano) fez com que o preço do bezerro subisse muito esse ano. Explico: com o milho muito mais barato, o preço que os confinadores podiam pagar pelo bezerro aumentou, e o estímulo para confinar aumentou.

Será que isso já acontece aqui no Brasil? Será que a queda no preço do milho já influencia no preço do bezerro aqui no Brasil? A diferença dos EUA é que a quase todo gado lá é confinado, aqui o percentual é de cerca de 10% do volume abatido anualmente.

Queria muito ouvir sua opinião sobre isso.

Muito obrigado pela companhia. Um grande abraço, Miguel

PS: Vou abrir as inscrições para o BeefSummit Brasil 2014 na segunda-feira. Teremos descontos especiais para quem agir rápido. E vou enviar o link com desconto primeiro para quem foi o ano passado e depois para toda nossa base de leitores, que está quase chegando nas 100.000 pessoas… O que é uma coisa incrível, que eu nunca imaginei… :-)

Miguel Cavalcanti

BeefPoint: Para quem faz hoje a pecuária do futuro. E para quem quer fazer.
AgroTalento: Desenvolvimento pessoal e profissional para os novos líderes da pecuária.
BeefSummit Brasil: Conhecimento, Relacionamento e Inspiração para quem faz a pecuária do futuro hoje

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *