Reflexões sobre o custo oculto dos problemas de qualidade na carne bovina

Por em 23 de janeiro de 2015

Bom dia, tudo bem?

Espero que sua semana tenha sido muito produtiva. Aqui no BeefPoint tudo passou muito rápido… Essa foi a primeira semana de conteúdo do AgroTalento e tivemos uma semana e tanto.

O mais incrível está sendo a comunidade no Facebook. Diversas pessoas gravando vídeos, ensinando, compartilhando, comentando. Uma grande troca de aprendizados e experiências. Eu tinha certeza que essa comunidade ia ser muito forte, mas a turma superou todas minhas expectativas… :-)

Queria voltar a conversa sobre o tema iniciado aqui: Alguma ligação entre esses 4 acontecimentos da pecuária?

Meu ponto de vista é que temos uma grande oportunidade de crescimento do setor, se investirmos em melhorar nosso jogo, em subir nosso padrão.

No caso da carne commodity, o grande problema é nas questões mais básicas. E me surpreende a frequência com que temos problemas.

Qual o índice de problemas de pH nos frigoríficos brasileiros? Um professor de qualidade de carne amigo meu diz que não utiliza os medidores de pH dos frigoríficos quando vai fazer estudos científicos com carne, pois a chance de dar erro é muito grande. Porque isso ocorre?… Muitos animais inteiros, e falhas no manejo pré-abate (na fazenda, no embarque, no transporte, no desembarque e no frigorífico).

Com isso, temos muitas perdas. De qualidade e de quantidade. Essa perda muitas vezes é grande, mas como não é medida, parece que não existe. E quem paga por ela? Todos nós.

Além disso, a quantidade de problemas que temos com carnes que não entregam a experiência desejada é muito grande. Com meu último email sobre o tema, voltei a receber uma enxurrada de mensagens e comentários de pessoas que tiveram experiências ruins com a carne que compraram.

Imagine você comprar um produto que você gosta muito, que você aprecia muito, para uma ocasião especial. Se todo dia fosse uma loteria (reversa), você se sentiria como?

Imagine que o pão de queijo que você compra na lanchonete mais perto da sua casa, um dia está normal, no outro está péssimo, com gosto de estragado… Você reclama e nada… Cada dia é uma loteria (onde você não pode ganhar, só perder…)

Como você se sentiria? Como seria seu comportamento de consumo? Iria comprar mais ou menos? Muito provavelmente iria comprar menos… E é isso que vem acontecendo com a carne no Brasil… E é claro, que como a renda aumentou, o consumo aumentou, como o brasileiro adora carne bovina e churrasco, esse problema, essa perda, esse prejuízo ficam mascarados…

No caso de carnes premium, que representam 1-2% do mercado apenas, o tema é outro. Acredito que precisamos seguir o caminho do vinho, do café e do azeite… Educação, marketing da educação.

Ensinar o cliente sobre os diferentes cortes, as diferentes formas de preparo, os diferentes sistemas de produção, as diferentes raças, as diferentes regiões produtoras… Como disse o Paulo Whately, ainda tem gente que acredita que a carne produzida em MG é mais dura porque tem muito morro… :-)

Depois que você faz um curso de vinhos, o impacto é imediato: o vinho que você comprava ontem não serve mais, você quer tomar um melhor… Aconteceu comigo… E deve ter acontecido com você… :-)

No caso do café, é comprovado, quanto melhor a quantidade, maior o consumo… Quer uma prova? Coloque uma máquina de Nespresso no seu escritório… Aqui no BeefPoint, todo mundo quer tomar um cafezinho… :-)

Meu amigo Roberto Barcellos diz a mesma coisa com carne de qualidade. Se você levar carne especial no seu churrasco, você precisa comprar mais, pois o consumo vai ser maior…

Um casal de amigos do MS, que levou seus vaqueiros ao BeefSummit, me contou que o vaqueiro tinha comido quase 2kgs de carne, e dito para eles: “nunca comi carne tão macia, nem fiz força nos dentes, daí comi demais…” Eu achei boa demais essa história, e ainda por cima de ter acontecido com a carne servida num evento nosso… :-)

Enfim, o mercado está aí, pedindo soluções, pedindo mudanças, pedindo inovações. Vamos aproveitar e mudar o que precisamos mudar em momentos de preços altos?

Me responda aqui nesse post, que eu comento no email da semana que vem.

Desejo a você um ótimo final de semana. Um grande abraço e muito obrigado pela companhia por aqui, Miguel

PS: Se você quiser, ainda é possível assistir o replay (até a meia-noite de hoje) da palestra online grátis “Empresa Autogerenciável: Como ter uma empresa que funciona sem você” do meu amigo Marcelo Germano. A palestra ensina como é possível ter uma empresa que funciona sem a sua presença, conquistar tempo livre e ter uma organização vencedora.

Miguel Cavalcanti
BeefPoint: Para quem faz hoje a pecuária do futuro. E para quem quer fazer.
AgroTalento: Desenvolvimento pessoal e profissional para os novos líderes da pecuária.

11 Comments

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *