Porque você está no negócio pecuária?

Por em 26 de agosto de 2014

Bom dia! Espero que tudo esteja bem com você.

Enquanto você lê essa mensagem, estarei chegando no aeroporto de Guarulhos, SP. Esse email foi escrito dentro do avião, usando internet gogo flight… É a tecnologia cada vez mais a nosso favor… Incrível mesmo…

Recebi uma foto do meu amigo Fernando Sampaio da ABIEC, de 2003, onde eu andava com crianças pela Feicorte, numa atividade para o SIC – Serviço de Informação da Carne.

Essa foto reforçou minha reflexão nesse final de viagem aos EUA.

As perguntas que vinha me fazendo desde sábado a noite eram: Porque começamos isso tudo aqui? Porque eu estou nesse negócio BeefPoint? Onde quero estar daqui a 10 anos?

A resposta veio muito forte e clara dentro de mim: transformar a pecuária de corte brasileira usando informação de qualidade, debates em alto nível e visão de longo prazo.

A cada viagem que faço, para o exterior ou para os rincões do Brasil, fico com mais certeza de que tudo está nas nossas mãos. O Brasil tem todo o potencial do mundo para se tornar a potência, o império da carne bovina mundial.

Mas esse potencial não vai cair no nosso colo sem esforço.

Uma das coisas que aprendi com o tempo e com o trabalho é que é preciso agarrar aquilo que é seu. Ninguém vai te entregar o que é de seu direito. Você precisa ir lá buscar.

Fica aqui minha pergunta para você:

Porque você está no negócio pecuária? Como você quer realmente estar daqui a 10 anos?

Muito obrigado. Um forte abraço, Miguel

PS: Veja a foto de 2003 e também faça o exercício de reflexão: porque você começou nesse negócio e onde vai estar daqui 10 anos.

sic-2003

11 Comments

  1. Gentil José Martin Fernandes

    27/08/2014 at 08:23

    Bom dia Miguel.
    Estou na pecuária não só por ter nascido e criado no meio rural, mas porque gosto de produzir e saber que de certa forma contribuirei com a humanidade em relação ao fornecimento de alimentos. Por outro lado, acredito na importância econômica do setor e no agronegócio como um todo.

    Obrigado,
    Gentil.

  2. Edilson Pereira da Silva

    27/08/2014 at 09:36

    Bom dia Miguel e a todos da equipe do BeefPoint.

    Então sempre estive ligado com o campo, e isso foi o primeiro passo para que crescesse uma grande paixão pela pecuária. Hoje com a alta demanda por proteína animal no mundo cada dia temos novas tecnologias ao nosso favor, isso mostra que a pecuária está sempre inovando, parecendo até mesmo um aplicativo, onde sempre que se tem novas idéias para tornar se melhor do que está é lançado uma nova versão para atualização, seria mais ou menos isso.
    Estar no “negócio pecuária” pra mim, é saber que estou contribuindo de alguma forma na cadeia produtiva da carne bovina, é trabalhar buscando resultados e inovações, é adquirir sempre mais conhecimentos afim de melhorias.

    Grato pela atenção.

    Edilson P. da Silva

  3. Jean Carlos dos Reis Soares

    27/08/2014 at 11:43

    Bom dia.
    É uma grande questionamento que devemos fazer regularmente para rever nossos objetivos. Também concordo que temos um baita potencial e muito trabalho pela frente.
    Abss

  4. Thiago Augusto

    27/08/2014 at 14:29

    Boa tarde!
    Minha família tem vivência neste setor e há 08 anos com a aposentadoria de meu pai, iniciou atividades com leite de forma mais intensa. Atualmente com ele na Fazenda, há 03 anos iniciei compra de bezerras neloradas e vendas após 15 meses na Fazenda. Atualmente, iniciamos um processo de TE da raça Brangus, que está planejado para as águas. A tecnologia e conhecimento aliado a produção. Nossas pastagens formadas, silos e piquetes, além de um Zootecnista para auxiliar. Será um plantel piloto de 12 TE`s com o objetivo de revenda em 24 meses e assim iniciar uma escala de produção.

  5. Flávio Abel

    27/08/2014 at 15:01

    Boa tarde Miguel:
    A pecuaria é meu segundo negócio. Faço porque gosto.Hoje temos boas perspectivas de negócio, nem sempre foi assim.
    Gostei da tua assertiva: Podemos ser o imperio da carne bovina mundial.
    Vou guardar esta expressão numa moldura em minha mesa de trabalho.
    Você tem razão. Podemos buscar esta condição.
    Já deu para entender porque estou na pecuária?
    Abraços.
    Flávio Abel

  6. anselmo siqueira maia

    27/08/2014 at 18:54

    a minha historia é de herança de família, de avo para pai e de pai para Filho, apaixonei pela agropecuária, pois entre muitos da família sou o único que foi para este segmento com busca de tecnologias.sou veterinário com especializações e tenho 60 anos. Este seu trabalho no beefpoint é fantástico, assisto muitas entrevistas e já estou me viciando, pois está no sangue buscar soluções e conhecimentos. É como estivesse em sala de aula escutando alguns professores não somente teóricos mas práticos. Continue Miguel Cavalcante com este Trabalho. Você transparece uma enorme boa vontade, perspicácia, confiança,qualidade. Quero chegar com nossa pecuária ao top da produção da melhor carne, melhor custo beneficio na produção de kg de carne por há, com o menor tempo, e provar para min e para os amigos que me cercam que podemos produzir tanto quanto as outras culturas concorrentes. No meu caso,no momento, a soja que esta em minha volta,e antes dos 10 anos.
    Abraço,Anselmo Siqueira maia.

  7. Julio Cesar Spegiorin

    29/08/2014 at 07:48

    Bom dia Miguel ,
    Primeiramente parabéns pelo seu trabalho , dedicação, comprometimento e por tudo que realiza pela pecuária brasileira , realmente demonstra a prática do “apaixonismo” por ela! Também como colaborador nato através da empresa Merial Saúde Animal ( 28 anos ), rssss… já vi coisa hem !rssss, me sinto satisfeito de tê-lo em nossa parceria.
    Quando comecei a colaborar pelo desenvolvimento na pecuária brasileira , ainda nos bancos da universidade , tinha um pouco de dúvidas sobre o assunto, coisa de aluno , mas não demorei muito para optar em cuidar de BOI , entrei de cabeça, fui logo pra clinica de grandes animais e em menos de um ano fui trabalhar em um dos maiores grupos de pecuaria do nosso Brasilzão para aquela época ( década de 80, mais exatamente em 1984 ), o grupo Liquifarm , além da diversidade na pecuária ,possuia uma fazenda em São Felix do Araguaia-MT – Fazenda Suiá Missú (500.000 Ha.) e em SP , mais especificamente em Araçatuba adquiriu a fazenda Santa Cecilia ( do saudoso pecuarista Torres Homem Rodrigues da Cunha)cuja fazenda se tornou o laboratório para desenvover tecnologias , genética,..para a Fazenda Suiá Missú onde me residia e iniciei a trabalhar com gestão de fazendas e pessoas ,aquelas instalações se tranformaram no maior laboratório de reproduçao da América Latina para a época( coleta e comercialização de semem) , o primeiro importador e berço da Raça Marchigiana e Chianina no Brasil), onde possuia uma diversidade , uma verdadeira escola para quem estava iniciando e queria chegar longe : cria recria e engorda ,gado PO, agricultura para trato de gado em escala , confinamento de 4.000 bois ,….enfim mais que uma universidade para quem quer aprender , que dois anos após (1986)fui para a Merial Saúde Animal , foi ai que me defrontava com a sua pergunta : Onbde estarei daqui a 10 anos ? e que acrdito que todas as pessoas em quealquer negócio deveria se perguntar constantemente , e já se foram 28 anos de Merial e continuo colaborando juntamente com milhares e milhares de outros apoaixonados como você , apesar de realizar um trabalho mais regionalizado( Noroeste/Paulista do estado de SP) acredito que estou deixando minhas marcas , meu aprendizado , debatendo sobre o assunto diariamente , enfim minha gotinha de contribuição e histórias , e tudo isso tem um sabor muito especial, quando páro e comparo a evolução dos negócios da pecuária atual x 30 anos atrás , é lindo ! é maravilhoso! Evoluiu demais !é vitoriso pra quem assistiu , vive e está esse negócio , chamado PECUÁRIA! Deixo aqui a razão disso tudo : FAÇAMOS A NOSSA PARTE! Mais uma vez Parabéns , você é um entusiasta e merece aplausos ! forte abraço e continue nessa jornada e lógico com mais um admirador e se preciso um colaborador !

  8. mara belchior

    29/08/2014 at 12:04

    Estou na pecuária porque gosto do criar, inseminar,desmamar,engordar enfim ciclo completo.Daqui 10 anos espero encurtar os meses de abate dos machos acho que quando os pesquisadores correlacionar o perfil genético dos animais de um rebanho com os dados de medidas de DEP como ganho de peso e precocidade no desmame por meio processo seleção genômica, será possível aumentar o grau de certeza para tomar decisões de seleção.

  9. Alvaro

    30/08/2014 at 11:38

    Estou na pecuária devido a meu pai!
    Estou muito feliz em estar nesse meio, ver um animal comer ração no cocho com a boca cheia é gratificante.
    Daqui a 10 anos quero mostrar aos meus filhos isso e espero que eles gostem como eu!

  10. limão

    31/08/2014 at 09:58

    Bom dia miguelito,
    Realmente falando, do fundo da alma. Estou na pecuária pela paixão. Pelo estilo de vida que ela me proporciona.
    Amo o cheiro de bosta no curral.
    Adoro o cheiro de terra molhada depois duma garoa num malhador.
    Adoro cheiro de capim cortado.
    Cheiro de cavalo suado….é uma delícia.
    É apaixonante o som do esturro
    dos touros e a berração da bezerrada num malhador cedinho.
    Toma um tereré junto com a peazada…numa tarde quente…é muito gratificante.
    E. No fim do dia. Conseguimos pagar as contas e crescer um pouco com os frutos desta atividade maravilhosa….ai fica uns poucos motivos porque estou na pecuária.
    Bração
    Limão

  11. Andre Gomes

    07/09/2014 at 12:00

    Bom dia. Estou na pecuária por ter a impressão que posso fazer a diferença. A agricultura é mais regra de bolo e tem picos de trabalhos mais intensos. Prefiro a complexidade de uma pecuária bem conduzida ( será?), apesar da menor lucratividade por hectare.É paixão por isso beira a irracionalidade.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *