Em que tema pecuaristas e ambientalistas concordam?

Por em 4 de novembro de 2014

Bom dia, como vai?

Por aqui tudo indo muito bem. Nesses últimos dois dias, participei de dois eventos muito interessantes em São Paulo. Um sobre startups, empreendedorismo e inovação, com palestrantes do Brasil e dos EUA, e também da Conferência Global de Carne Bovina Sustentável, organizada pelo GTPS (Grupo de Trabalho da Pecuária Sustentável, do Brasil) e pelo GRSB (entidade global para pecuária sustentável com sede nos EUA).

No evento de empreendedorismo, gravei uma série de entrevistas curtas em vídeo, de 5 a 15 minutos, com empreendedores de sucesso. Duas coisas me chamaram a atenção.

Numa conversa sobre educação, aprendi e reforcei o que já sabia: hoje o mais importante num professor é a paixão por ensinar e a paixão pelo conteúdo que ele ensina. Os melhores cursos hoje em dia, são aqueles em que o professor é um apaixonado pelo tema. E é claro, vai atrás o tempo todo em aprender mais sobre o tema, e sobre como ensinar aquele tema.

Bom demais ouvir isso, na semana que vamos lançar a primeira palestra online do AgroTalento. Optamos por regravar uma parte da palestra, por isso não conseguimos lançar na segunda. Até sexta estará no ar. Me desculpe pela demora adicional, mas você vai gostar… :-)

Ainda sobre educação, o modelo mental das pessoas de sucesso, é o aprendizado contínuo. Como você pode continuar aprendendo, todos os dias, o tempo todo, se tornando hoje melhor do que ontem, pior do que amanhã. Ouvi isso da Nathalie Trutman, da FIAP, Singularity University e Hyper Island (essas duas últimas são das escolas de negócios e inovação mais em alta no mundo hoje). Esse também foi o aprendizado passado pelo Tallis Gomes, fundador do EasyTaxi, uma das empresas mais faladas hoje em dia.

Aprendi também, com uma das pessoas com mais energia e motivação que eu conheço, que o segredo para aqueles dias que você se sente mal, se sente desanimado, está até pensando em desistir, que a melhor maneira de mudar é buscar apoio das pessoas que estão a sua volta, que gostam e acreditam em você.

Mesmo as pessoas com mais sucesso, com mais energia, têm seus dias ruins… Todo mundo tem seu dia ruim… E o segredo, é você buscar essa rede do bem, essa rede de pessoas que você confia e que te inspiram a ser melhor.

Eu tenho alguns amigos que são conselheiros, são inspiração, são exemplo, e que me ajudam muito quando não estou nos meus melhores dias. Outra coisa que eu faço, e já descobri que outras pessoas também fazem, é juntar exercício (no meu caso corrida) com música ou audiolivros. Funciona muito bem. E cada vez mais gente e mais estudos me mostram que exercício físico faz bem para a cabeça (além de fazer bem para o corpo).

Aproveite e faça uma boa reflexão de quais pessoas você acredita que pode contar, nos seus momentos mais difíceis. Aproveite e faça um contato com essas pessoas, um email, uma ligação, ou até uma visita pessoal. Se você contar a elas que você as considera como referência e como apoio, vai ser muito bom.

Outra reflexão, é como andam seus hábitos de exercícios… Vale lembrar que teremos uma corrida na manhã do dia 3 de dezembro, durante o BeefSummit Brasil, inclusive com uma participação especial de um lutador do UFC… Uma surpresa meio diferente que estamos planejando… :-)

Ainda sobre o dia de ontem, na conferência sobre carne bovina sustentável, o ponto chave de todas as palestras foi a intensificação. Ou seja, como aumentar a produtividade da pecuária.

A intensificação precisa ser entendida como o melhor uso dos recursos. Como tirar mais resultado do mesmo insumo, do mesmo recurso. Isso se dá com mais informação, conhecimento, melhor manejo, e também com tecnologias que ajudam a aumentar a produtividade.

A economia e a sustentabilidade andam juntas por muitos motivos. E o primeiro é uma questão muito simples, base da zootecnia: os animais têm um requerimento de mantença. Ou seja, até certo ponto, a alimentação é usada pelo organismo para se manter vivo. Com maior produtividade, se consegue diluir esse “custo”.

Produtores querem produzir mais por animal e por área para ter mais lucratividade e maior qualidade. E quem está preocupado com sustentabilidade, quer produzir mais por área e por animal pois já aprendeu que com isso tem um ganho indireto de redução do desmatamento.

O grande foco dos programas ambientais atuais no Brasil é quase que um só: reduzir o desmamatamento na Amazônia. Outros biomas têm menor destaque, e outros temas relacionados a sustentabilidade também têm menos destaque. Não faz muito sentido, mas é como as coisas estão hoje em dia.

Mas eu fiquei impressionado em como o discurso é semelhante, com foco na intensificação, no aumento da produtividade.

Uma das palestras, feita pelo pesquisador da California que contestou o famoso estudo da FAO que afirmava que a pecuária contribuia mais com o efeito estufa que todos os meios transportes do mundo, mostrou exatamente esse tema: intensificação sustentável.

Ele mostrou diversos dados comprovando, em diversos sistemas de produção, de carne, leite, suínos, que a medida que se aumenta a produtividade, em especial por animal, a emissão de carbono por quilo de alimento produzido tende a cair. Isso porque você “dilui” o custo de mantença.

Esse conceito é bem básico, pois todo mundo sabe que um animal que ganha 500g/dia não precisa comer o dobro para ganhar 1.000g/dia, mas na essência, a pecuária precisa buscar maneiras de aumentar sua produtividade. Conseguir fazer isso de forma eficiente vai ser a forma de se tornar mais sustentável. De competir com outras culturas: grãos, cana, madeira, etc. Precisamos lembrar que o universo de produtores no Brasil é muito grande. A média representa pouco, pois temos gente muito acima da média, e muito abaixo da média.

Mesmo sistemas mais “criticados”, como confinamento, tendem a ser mais sustentáveis que sistemas mais “elogiados” como a produção a pasto, quando a velocidade de ganho de peso é diferente. Dificilmente um sistema a pasto com ganho de 500g/dia vai ser mais eficiente que um confinamento com ganho acima de 1.000g/dia por animal.

Enfim, esse é o ponto onde todos parecem estar alinhados. E é mais um dos pontos que analiso estar “empurrando” a pecuária para uma maior produtividade, junto com tantos outros: aumento da escala, dificuldades com mão-de-obra, mudança de gerações, novas tecnologias, aumento de custos, etc, etc, etc… De todos os itens que influenciam a pecuária hoje, todos, sem exceção pedem maior produtividade, maior eficiência.

O grande desafio é aumentar a produção por animal e por área, com eficiência econômica. É usar de forma inteligente tudo que existe de tecnologia disponível. Mais importante de qual tecnologia usar, é quão bem você vai usar cada tecnologia.

Isso faz sentido para você? Deixe seu comentário aqui.

Gostaria muito de ler sua opinião do que você está gostando, do que pode mudar, do que você queria ver mais aqui, e do que gostaria de ver menos aqui no BeefPoint.

Muito obrigado pela companhia diária aqui nesse email.

Um grande abraço, Miguel

PS: Fiquei impressionado demais com o número de inscrições no primeiro dia que abrimos as vendas do BeefSummit Brasil. Não sei se é porque ano passado muitas pessoas elogiaram, muita gente dizendo que foi o melhor evento do ano, a até o melhor evento que já tinham ido na vida… Ou se porque estamos oferecendo um desconto de 60% no valor da inscrição… Sim, a condição especial do lote 1 é de 60% de desconto, com garantia de satisfação incondicional até 20-11. Aproveite agora… Ou se arrependa depois… :-)

Miguel Cavalcanti

BeefPoint: Para quem faz hoje a pecuária do futuro. E para quem quer fazer.
AgroTalento: Desenvolvimento pessoal e profissional para os novos líderes da pecuária.
BeefSummit Brasil: Conhecimento, Relacionamento e Inspiração para quem faz a pecuária do futuro hoje

14 Comments

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *