7×1: uma crise é uma coisa muito valiosa para se desperdiçar

Por em 14 de julho de 2014

No dia do fatídico jogo que perdemos por 7×1, não consegui refletir muito sobre o assunto. E a diversão do dia foi ler os comentários e piadas no twitter, whatsup e facebook.

A surpresa é que não fiquei chateado com essa derrota tão incrível. Estou com uma sensação de que precisávamos de um bom chacoalhão para acordar para a realidade.

O Brasil está perdendo vários jogos, bem mais importantes do que esse, por 7×1. Temos educação que perde de 7×1. Corrupção ganhando de 7×1. Impostos 7×1. Inflação parece que será 7% esse ano. E o crescimento da economia de 1% (ouvi esses dois de um amigo). Ou seja, em temas muito mais relevantes para o país, estamos perdendo de goleada.

E só perdendo de goleada para acordar. Se o Brasil tivesse perdido por 1×0 na terça-feira, teríamos uma infinidade de desculpas para justificar essa situação. Diz o ditado que o tolo mais fácil de se enganar é você mesmo.

Por outro lado, eu tenho a sensação e o otimismo de que podemos muito mais. Eu sou abençoado pela oportunidade de viajar pelo Brasil a fora, conhecendo gente que faz um baita trabalho na pecuária. Posso garantir: tem muita gente boa nesse Brasil.

O problema é que em várias áreas esse grupo perdeu espaço, ou perdeu interesse, ou os dois. E com isso, ficamos por baixo, tendo que nos sujeitar a tanta coisa ruim.

Que esse 7×1 nos ajude a acordar para os outros jogos que estamos perdendo. E nos ajude a retomar um projeto de país que possamos verdadeiramente nos orgulhar. E na minha visão, a primeira coisa que o Brasil precisa atacar é a corrupção. E o jeito é começar pelas pequenas coisas. Conhece a teoria das janelas quebradas? Se cometemos pequenos delitos, estamos endossando os grandes.

Precisamos nos lembrar da frase: “O que me preocupa não é nem o grito dos corruptos, dos violentos, dos desonestos, dos sem caráter, dos sem ética… O que me preocupa é o silêncio dos bons.” Martin Luther King.

E por último, encomendei ontem minha camisa do Brasil, e vou começar a usar na semana que vem. Aprendi, acho que em especial nos EUA, que podemos e devemos ser patriotas todos os dias. Lá, há muitas casas com bandeiras hasteadas todos os dias do ano, não apenas quando há jogos esportivos. Quero ser mais patriota, em vários sentidos. E o pequeno primeiro passo é ter uma camisa do Brasil e usá-la depois da copa.

Aproveito para lembrar, esse texto é um lembrete para você, mas é especialmente um lembrete para mim mesmo.

Um abraço, Miguel Cavalcanti

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *