O preço/kg do corte compensa? #carnebovina

Por em 26 de maio de 2014

Vejam só, uma peça de fraldinha comum por R$13,99/kg. Compei uma num supermercado para avaliá-la. A data de validade estava em dia, para 20/06.

Primeiramente, a carne é de um frigorífico SIF, ou seja, apta para consumo humano. Qual outras garantias temos? Maciez? Sabor? Impossível de saber, sem garantias.

IMG_1616

A peça bruta pesava em torno de 1,6kg. Após limpá-la, adivinhe, a fraldinha digna de um churrasco (extra-limpa, ou “red meat”) pesou pouco mais de 700g, 56% de perda. Ou seja, na verdade o corte saiu 56% mais caro do que os R$13,99/kg.

Ao ajustarmos o preço descartando o que foi retirado da limpeza da peça, temos que esta fraldinha custou R$21,82/kg.

Podemos comparar a carne bovina comum com carne produzida exclusivamente para garantir suas características (origem, maciez, sabor, etc…)? Acho que não. Como no café, existem diversas opções de qualidade: do commodity até os especiais chamados “gourmets“. Na carne bovina também há opções.

E comprar produtos sem estarem finalizados para consumo? Por exemplo, há pessoas que compram café com casca? Ou um azeite que ainda é preciso coá-lo? Acho que não. E por que com a carne bovina muitas pessoas ainda não valorizam o produto acabado?

IMG_1611IMG_1612IMG_1613IMG_1614IMG_1615
IMG_1617

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.